Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Alcides pede licença do cargo de presidente da Câmara por 10 dias

Alcides pede licença do cargo de presidente da Câmara por 10 dias

por Administrador publicado 19/10/2012 16h34, última modificação 08/04/2016 19h46
O presidente da Câmara de Apucarana, Alcides Ramos Júnior (DEM), protocolou nesta quinta-feira (18) pedido de licença do cargo por um período de dez dias. O prazo começa a contar a partir desta sexta-feira (19).

). Segundo Alcides, trata-se de uma decisão pessoal e que tem como objetivo afastar alegações de que poderia estar criando qualquer obstáculo para os trabalhos do Ministério Público, que vem investigando denúncias de supostas irregularidades nas contas da Câmara, bem como eventual utilização de servidores e da estrutura do Legislativo na sua campanha eleitoral. “Passo o cargo para o vice-presidente Valdir Frias com tranquilidade, reafirmando minha confiança na Justiça. Aproveito para descansar por alguns dias da correria da campanha e para dar um pouco mais de atenção à família”, afirma Alcides Ramos.

Ele comunicou o fato aos vereadores e aos servidores da Casa, dizendo que compreende o trabalho realizado pelo Ministério Público. “Imagino que houve uma chuva de denúncias, sobretudo no período eleitoral, muitas delas provavelmente por iniciativa de pessoas que estavam na disputa ou que também tinham seus interesses políticos”, assinala Alcides Ramos. “O Ministério Público está cumprindo o seu papel, que é o de investigar. Mesmo não tendo criado qualquer dificuldade, achei por bem me afastar para que ninguém alegue que, na condição de presidente, eu estaria influenciando o depoimento de servidores ou alterando documentos e outras provas”, acrescenta o presidente.

Alcides disse ainda esperar que durante a sua licença o Ministério Público termine a fase de depoimentos e coleta de documentos na Câmara. “Hoje o Poder Legislativo está funcionando com alguma dificuldade por conta de todos esses procedimentos, uma vez que foram retirados daqui computadores, os três veículos da Câmara e documentos”, afirma o presidente. “Torcemos para que o Ministério Público conclua o mais rápido possível o seu trabalho e que a Câmara volte à sua rotina de funcionamento”, finaliza o presidente.

---

18-10-2012