Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Alcides manda adesivar os carros da Câmara

Alcides manda adesivar os carros da Câmara

por Administrador publicado 04/06/2011 12h01, última modificação 08/04/2016 19h46
O presidente da Câmara de Apucarana, Alcides Ramos Júnior (DEM), baixou nesta sexta-feira (03) um ato disciplinando o uso dos veículos do Poder Legislativo.

Pelo ato, esses veículos, a partir de agora, passarão a circular identificados com um adesivo, no qual haverá a inscrição “Câmara Municipal de Apucarana – Uso Exclusivo em Serviço – 0800 648 7002”. “O adesivo vai identificar o veículo como propriedade da Câmara, portanto de uso exclusivo para serviço público. Além disso, vai trazer o 0800, que é um número para o qual a população pode ligar gratuitamente e denunciar qualquer irregularidade”, assinala o presidente.

Segundo Alcides Ramos, o ato está sendo baixado porque a Câmara e o próprio Ministério Público têm recebido algumas denúncias de uso impróprio dos veículos. “Muitas vezes alguém pode pegar um veículo para determinado fim e depois se estender no uso, passando a cuidar de coisas pessoais, o que obviamente é uma conduta irregular. Com a identificação do veículo, nós esperamos acabar com essa prática”, justifica o presidente.

Alcides Ramos lembra que é difícil para a presidência ou a Secretaria Administrativa da Câmara acompanhar o tempo todo o uso dos três veículos – dois Astra e um Prisma. “Por isso, decidimos identificar esses veículos, pedindo à população que nos ajude na fiscalização, denunciando o uso para qualquer outro fim que não seja o serviço público”, ressalta o presidente. Alcides Ramos defende que medida semelhante seja adotada pela Prefeitura, com toda a frota municipal. “A Câmara está se adequando para depois poder agir como órgão fiscalizador também nesse sentido. Se queremos coibir abusos com carros oficiais, primeiro temos que dar o exemplo”, finaliza.

TRANSPARÊNCIA - Medida tem como objetivo coibir abusos no uso de veículos oficiais

Alcides Ramos: “Queremos que a população nos ajude a fiscalizar, denunciando os abusos”